A+ | A- | Imprimir | Ouça a MSG | Ant | Post

Dentro de suas atividades nos tempos modernos, os espiritistas sinceros não podem desconhecer o sentido revolucionário da tarefa que lhes coube. Não no sentido de movimentação exterior ou de predicações exaltadas na consideração de nossa mística reconfortadora, mas revolução em si mesmos, estendendo os benefícios colhidos a outras almas, no grande e abençoado labor educativo.

Necessitam eles de muito tempo ainda, na contagem dos anos sucessivos para a preparação de ambiente, no objeto de aplicar-se o ensinamento de modo coletivo. Não se atingirá a finalidade da doutrina, sem a formação da base espiritual, mantenedora da estabilidade das grandes realizações.

A revolução preconizada é toda de natureza espiritual, começando no eu, desenvolvendo-se no mundo individual, projetando assim mais luz no caminho da coletividade. Cada estudante da escola doutrinária deverá sentir em si mesmo o estímulo do aprendiz dedicado ao seu mestre, provando ao Senhor da Seara, com os seus sacrifícios próprios, o índice de aproveitamento pessoal.

Esse movimento, portanto, não requer armas, apoio político e outros auxílios necessários às organizações estritamente materiais. No problema, requer-se compreensão e sentimento, a fim de que a verdade relativa dilate os seus horizontes, dentro do próprio âmbito de conhecimentos do planeta. Não bastará, pois, a freqüência às reuniões ou a procura deste ou daquele concurso da doutrina, para que, em semelhante assunto, se arvore o leigo em sabedor de teorias espiritualistas. Requer-se o sentimento e a essência educativa, para que o ideal não se perca em seus grandiosos fins.

Os espiritualistas estão vivendo a fase revolucionária... em si mesmos e, dentro dela, convém recordar que, para seguir o Divino Mestre, não é necessário escarificar as minas profundas da cultura complicada do século e nem é preciso condenar as demais doutrinas que não sentiram ainda o Evangelho Redentor. Sabemos que, no futuro, todas as filosofias terrestres estarão irmanadas em sua lição de simplicidade e amor. O que se faz imprescindível nos tempos que passam é a demonstração viva de cada discípulo, dentro do conceito profundo de sinceridade confirmando a firmeza de sua e a nobreza de sua convicção em afirmativa individuais de legítima compreensão.


Por: Emmanuel, Do Livro: Coletâneas do Além, Médium: Francisco Cândido Xavier


Leia Também:

Recado da Esperança: por Maria Dolores
Definição Inesperada: por Irmão X
Amor e Fé: por Maria Dolores
Hora da Fé: por Irmão Saulo
Lenda Simbólica: por Maria Dolores

Avalie Esssa MSG

0 Voto(s) 0 Voto(s)

Comentários