A+ | A- | Imprimir | Ouça a MSG | Ant | Post

A saudade de entes queridos que já deixaram a vida física tortura aqueles que ficaram. Isto é humano, afinal os laços de convivência e amizade jamais se perdem. Como esquecer os pais, filhos, cônjuges e autênticos amigos que já não estão mais conosco na convivência diária? Impossível. Por isso vem a saudade, muitas vezes doída...
Mas, a imortalidade da alma, caro leitor, é algo palpável. Sim, palpável pelo raciocínio. Basta pensar na inutilidade de toda esperança, de toda luta, de tantos vínculos de amor, se tudo se acabasse com a morte... Incoerente, não é mesmo? Incoerente inclusive com a grandeza e bondade de Deus, Pai justo e sábio, que não criaria os filhos para depois acabar com eles... e pior, em tão pouco tempo. Para quê tudo isso, então? A lógica e o bom senso indicam que continuamos, após a morte, a ser o que éramos e prosseguindo o progresso através de novas oportunidades.
Se somos adeptos de qualquer religião, somos pois, espiritualistas. Isso implica que aceitamos a continuidade da vida após a morte do corpo. Se a vida continua, nossos seres queridos estão em algum lugar. E também devem sentir saudades, não é mesmo? E não poderiam nos visitar, estar conosco? Qual o absurdo dessa idéia?
O único obstáculo é que agora utilizam corpo diferente do nosso. São invisíveis aos nossos olhos, mas continuam a existir, conservam seus gostos, idéias, emoções e sentimentos; mantém seus interesses e buscam o ideal que se dedicavam quando na Terra.
Pois bem, e podemos ter notícias deles? Sim, podemos. É comum que enviem notícias através dos sonhos, das intuições. E muitas vezes através da mediunidade, em comunicações escritas ou verbais. Mas neste caso, é preciso muito cuidado. Cuidado para não sermos enganados por médiuns charlatães que tiram proveio da credulidade humana.
Por outro lado, para enviar ou receber notícias, há que se considerar o mérito e as condições morais/espirituais/emocionais das partes envolvidas. As condições de quem já partiu são muito variadas e dependem da vida moral que a pessoa adotava quando na vida física. O mérito de quem deseja notícia, as condições para que uma comunicação aconteça tem também grande peso na ocorrência do fenômeno. Por esta razão, é preciso conhecer o assunto antes de envolver-se com ele. E para entender recomendamos os livros O Livro dos Espíritos e O Livro dos Médiuns, de Allan Kardec.


Por: Orson Carrara, Texto enviado pelo próprio autor para publicação em nosso site


Tags

ORSON CARRARA

Leia Também:

Como é uma Reunião Espírita: por Orson Carrara
Que é Ser Espírita?: por Orson Carrara
Que você pensa sobre os Espíritos?: por Orson Carrara
Um Risco na Mediunidade: por Orson Carrara
Síntese não Percebida: por Orson Carrara

Avalie Esssa MSG

120 Voto(s) 5 Voto(s)

Comentários